• in
  • insta
  • face
  • Fernando Garcia

Exemplos práticos de sinistros no condomínio

Atualizado: 25 de Dez de 2020


Queda de raio em prédio

Vamos falar neste post de algumas situações que acionam o seguro


Vamos supor que ocorra uma explosão devido a um vazamento de gás de cozinha no salão de festas do condomínio que afete os apartamentos. Os prejuízos causados à estrutura física tanto do salão quanto dos apartamentos, que são as paredes, pisos, tubulação, pintura etc. seriam indenizados pelo seguro, mas não haveria cobertura para os conteúdos dos apartamentos, ou seja, os móveis, eletrodomésticos, eletrônicos, roupas não seriam indenizados.


Agora, suponha que a explosão ocorra na cozinha de um apartamento e venha a danificar o hall onde fica o elevador. A Seguradora irá cobrir o prejuízo provocado na área comum, e ficará no direito de acionar judicialmente a pessoa que gerou o prejuízo, sendo que não haveria cobertura para os danos ocorridos no apartamento do morador.


Quer mais exemplos?

Por falha no manuseio, ou mesmo, por queda brusca do portão, ocorre a colisão do portão com um veículo. Se contratada a cobertura de danos ao portão e cancelas, estarão cobertos tanto os prejuízos do portão, quanto os danos ao veículo. Na eventualidade de o veículo ter sido o causador da colisão, estarão cobertos os danos ao portão e cancela.


Ocorre uma queda de raio e o impacto causa danos físicos no telhado. Os prejuízos causados são cobertos pela Cobertura Básica do seguro. É importante que o síndico monitore a manutenção do SPDA (Sistema de Proteção contra Danos Atmosféricos), também conhecido como para-raios.

No caso do rompimento da tubulação de água vertical, também chamada de coluna principal, poderá ocorrer uma série de transtornos, como danos aos elevadores, danos aos apartamentos de condôminos etc. Se a cobertura de tanques e tubulações for contratada, esses prejuízos estarão garantidos pelo seguro, até o valor contratado.

Ocorre uma sobrecarga na energia elétrica do Condomínio e equipamentos de uso comum como o CFTV foi danificado. Contratada a cobertura adicional de danos elétricos, o seguro do condomínio indenizará os danos apurados. Os eventos de prejuízos ocasionados por danos elétricos são os de maior frequências em condomínio, daí a importância de sua contratação.


E como funcionam as coberturas de responsabilidades?


Boa pergunta! É importante que a apólice de seguro do condomínio tenha cobertura para eventos de responsabilidade civil (processos judiciais), que diz respeito ao reembolso por danos causados a terceiros.


Essas coberturas de RC são específicas e abrangem situações de responsabilidades imputadas ao Condomínio que envolvem acidentes em áreas comuns do edifício, prejuízos comprovados decorrentes de ato, omissão, fato ou negligência do síndico, responsabilidade por roubo ou danos a veículos de terceiros, abrangidos também os de propriedade dos condôminos e responsabilidades que envolvem os empregados do condomínio.


O condomínio responderá por danos causados pela falha no piso do térreo ou de qualquer fato decorrente da própria edificação (área comum), onde um eventual visitante, prestador de serviços ou usuários, possa sofrer um acidente.


Outras situações envolvem queda de objetos sobre transeuntes ou veículos, queda de muro sobre edificação de vizinho. Todas, passíveis de gerar prejuízo ao Condomínio e cobertos pelo seguro, quando contratada a cobertura de Responsabilidade do Condomínio.


Ocorre um incêndio na garagem do condomínio em virtude um curto-circuito no sistema elétrico do gerador e os carros são incendiados. Os danos serão ressarcidos pela apólice de seguro do condomínio, caso tenha sido contratada a cobertura de RC Guarda de Veículos, que inclusive prevê a situação de danos por colisão, caso o veículo esteja sendo manobrado por funcionário do condomínio, com habilitação.

Você, estando na função de síndico, por mais dedicado que seja e por mais rigoroso que seja no cumprimento das normas condominiais não está imune a sofrer uma ação judicial de terceiros ou mesmo de condôminos, por um eventual prejuízo sofrido por eles. Isto implicará em despesas na sua defesa, por exemplo, e, no caso de uma derrota, em pagar o valor estipulado pela justiça. Daí, a importância de se contratar a cobertura de RC Síndico, que vai cobrir qualquer custo que venha a ser responsabilizado, quando na função do exercício de síndico.


Com esses exemplos, dá para perceber a importância de se contratar o seguro de condomínio.


Solicite aqui, uma proposta de seguro para seu Condomínio e fique tranquilo, pois o Segunda Opinião sempre buscará a melhor proposta para seu condomínio.


Quer saber mais? Baixe aqui nosso ebook Tudo sobre seguro de Condomínio.




3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Todos os direitos reservados ® para Segunda Opinião

Logofernandogarciasemfundo.png

Trav. Barão do Triunfo, 3540

Ed Infinity Corporate Center, Sala 315

Marco - 66095-055 - Belém PA

ATENÇÃO: Em cumprimento a legislação vigente, Lei 8078/90 – CDC – Código de Defesa do Consumidor e da Resolução CNSP – Conselho Nacional de Seguros Privados – nº 382/2020, artigo 4º, Parágrafo 1º, IV, declaramos que todas as informações relativas as propostas, contratos de seguros e previdência complementar (privada), intermediados pelo Corretor Fernando Garcia, SUSEP 201025712, estão à disposição dos nossos clientes, segurados, e poderão ser solicitadas a qualquer tempo, por qualquer um de nossos canais de comunicação.